terça-feira, 2 de novembro de 2010

Metas e ações

Estado do Rio Grande do Norte



Secretaria de Estado da Educação, Cultura e dos Desportos.


Escola Estadual Professora Iracema Brandão de Araújo.


Ensino Médio e EJA.


Rua Silvino Adonias Bezerra, 640 - Acari - RN


Ato de Criação n° 4.871/67 – Portaria n° 560/80 GS/SEECD.




















ELEIÇÕES DIRETAS PARA GESTORES DAS ESCOLAS PÚBLICAS











PROJETO DE GESTÃO






















Gestão da Escola:

Trabalhando Coletivamente “A União Faz a Força”






Acari-RN

2010

José Evani da Silva

Diretor

 

João de Oliveira

Vice-diretor



TRABALHANDO COLETIVAMENTE “A UNIÃO FAZ A FORÇA”



Projeto de Gestão apresentado à comissão eleitoral do processo de eleição dos gestores da Escola Estadual Professora Iracema Brandão de Araújo.




I. APRESENTAÇÃO
Num trabalho coletivo, as pessoas convivem e interagem umas com as outras, comunicam-se, despertam simpatia e antipatia, aproximam-se ou afastam-se, competem, cooperam, etc. Essas reações, voluntárias ou inconscientes, constituem o complexo processo de interação humana, que se expressa sob a forma de comportamentos, verbais ou não-verbais. Emitimos e recebemos mensagens num processo constante de intercâmbio entre duas fontes – eu e o outro. Sempre somos, portanto, co-responsáveis pelo processo ou fracasso de uma relação interpessoal.

A interação entre os participantes de um grupo de trabalho não é só o “estar junto”, trocar idéias ou dividir tarefas, mas também enfrentar dificuldades e superar divergências. È preciso através de ações coletivas que, de alguma forma, respeitem o momento de cada um, sem perder de vista os objetivos que o grupo se propõe alcançar.

Para desenvolver e fortalecer o ações e mostrar nossos horizontes necessário responsabilidade de todos – o grupo. Trabalhar coletivamente não implica todos estarem junto o tempo todo. Dependendo dos objetivos que se tem, é possível dividir responsabilidades e executar atividades, desde que se garanta a troca constante de informações e a continuidade do trabalho na direção dos objetivos que tiverem sido fixadas.

A luz desse parâmetro, o Projeto de Gestão da “Equipe em Ação, em buscar de novos horizontes” propõe uma gestão participativa, tendo em vista que todos juntos favorece o crescimento do compromisso e da competência dos segmentos da escola. Essa construção exige o compromisso com atitudes de responsabilidade, de desenvolvimento da capacidade de pensar e agir coletivamente e de respeito as diferenças.

Para tanto, traçamos metas para serem desenvolvidas coletivamente, oferecendo direção ao trabalho dos educadores, funcionários, pais e estudantes, ao longo da gestão.

Este Projeto de Gestão elenca intenções, prioridades caminhos para a realização da função social da escola: formar cidadãos aptos a atuarem de forma crítica e participativa na sociedade em que estão inseridos.


II. METAS / OBJETIVOS / METODOLOGIA DE TRABALHO



METAS OBJETIVOS METODOLOGIA

1. Envolvimento dos pais e da comunidade escolar 1.1. Mobilizar a comunidade para participar de encontros e/ou reuniões pela melhoria da qualidade do ensino e aprendizagem dos estudantes sensibilizando-a da importância efetiva de sua participação na escola Mobilização na comunidade convidando para realização de encontros ou reuniões através de convites, divulgação na Rádio Comunitária.

1.2. Analisar com os pais o uso do uniforme, a sua importância e as condições que o uso oferece na educação de seus filhos. Diálogo
Conversas

1.3. Criar o “Clube dos Pais” para que participem de projetos como: trabalhos manuais, pintura, bordado, crochê, aulas de reforço, conservação da escola, entre outros. Elaboração e apresentação do Projeto aos pais

Realização da inscrição

Reuniões

Oficinas

1.4. Apresentar a Proposta Pedagógica da Escola aos segmentos da Escola. Reuniões com apresentação de Slides.

1.5. Proporcionar a integração família x escola para o engrandecimento da aprendizagem. Palestras Dinâmicas de integração.Filmes reflexivos
2. Atendimentos aos estudantes.

 2.1. Colocar caixas de sugestão na escola, para que os estudantes depositem suas dúvidas, sugestões e perguntas para serem conhecidas e respondidas pela escola e pelo Conselho Escolar. Confeccionar caixas

Apresentação da caixa de sugestões

Tabulação e socialização das respostas ao Conselho Escolar e a Escola

Estabelecimento de prioridades

2.2. Realizar palestras sobre como educar os filhos e sobre o significado, a importância e os desdobramentos da educação. Palestras

2.3. Estar em contato direto com as famílias dos estudantes considerados “problemáticos” para descobrir as causas da sua situação, para poder auxiliá-los dentro do ambiente escolar. Parceria com o Conselho de Escola e líder de classe:

.Monitoramento da freqüência

.Convidar os pais a escola

.Visitação as famílias

.Elaboração de diagnóstico

2.4. Visitar as famílias de alunos faltosos e de baixo rendimento com o objetivo de ajudar, para que eles evitem faltar à escola e tenham melhor rendimento. Realização do PAE – Projeto Alerta Educacional Uso do caderno de registro (Ocorrências)

2.5. Estabelecer interação do Conselho Escolar com a Ação Social, Conselho Tutelar e o Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente para o atendimento dos casos especiais. Reunião

Envio de relatórios e correspondências



3. Organização da Escola.

 3.1. Zelar pela escola e seus materiais, contribuindo para a sua manutenção em bom estado de funcionamento e sua recuperação quando necessário. Reunião para sensibilização

Buscar parceiros

Realizar promoções para angariar recursos

3.2. Realizar campanhas de arrecadação de alimentos para famílias carentes. Realização de campanhas

3.3. Realizar promoções para manutenção de material de consumo para um melhor funcionamento da escola. Realização de sorteios e/ou mini – bingos.

3.4. Participar da orientação do recreio escolar, de modo que seja mais educativo e colaborar na distribuição da merenda. Participação ativa

Socialização e integração com alunos e funcionários.

3.5. Colaborar na entrada e saída dos estudantes da escola.

3.6. Promover a participação e a integração de todos no processo de tomada de decisão.

3.7. Estabelecer metas de resultado para cada bimestre e acompanhar a sua realização. Aplicação de instrumentos avaliativos

3.8. Realizar levantamentos periódicos das dificuldades que devem ser superadas. Tabulação e socialização

3.9. Manter os segmentos informados sobre o que acontece na escola. Criação de grupos de socialização e revitalização da Estação EEPIBA (Rádio Escola), Blogs e informativos

3.10. Divulgar para a comunidade através da Rádio Comunitária as atividades da Escola e do Conselho Escolar. Realização de programa na FM Gargalheiras.

3.11. Manter um informativo semestral a ser fornecido para os pais, informando e esclarecendo assuntos de interesses comuns com relação a escola e rendimento escolar dos estudantes. Criação do Informativo EEPIBA.

4. Enriquecimento as experiências educacionais.

4.1. Promover e incentivar eventos culturais e esportivos como forma de enriquecimento das experiências educacionais dos estudantes. Promoção de viagens de estudo, exposições culturais, torneios esportivos, jogos interclasses, desfiles.

4.2. Convidar profissionais para a realização de palestras para estudantes e pais sobre temas diversos. Palestras

4.3. Promover festas comemorativas para uma maior integração da Escola com a comunidade. Festas: junina, das mães, dos pais, avós, etc.

4.4. Realizar concursos literários e festas de leitura para incentivar as competências leitora e escritora. Realização da Caravana da Leitura.

4.5. Criar projetos de incentivo ao plantio de hortaliças e árvores frutíferas no pátio da escola. Elaboração de projeto

Oficinas

5. Operacionalização do Conselho Escolar.

5.1. Realizar reuniões em horários mais adequados para a participação de todos. Diálogos

Reuniões

5.2. Entregar o Regimento Escolar ao Conselho Escolar, para que tomem conhecimento de como funciona a Escola. Leitura, análise e discurso.

5.3. Fazer pesquisa com os pais através de um questionário com a finalidade de encontrar sugestões para a melhoria da escola. Aplicação de questionários.

5.4. Promover estudos sobre as funções e atribuições do Conselho Escolar. Grupo de estudo.

6. Melhoria da qualidade do ensino.

 6.1. Promover encontros com educadores viabilizando conhecimentos para lidar com os alunos com necessidades especiais, alunos com dificuldades de aprendizagem e alunos indisciplinados. Capacitação para ASG, Secretários, Biblioteca, Supervisão e Tele sala. Grupo de estudo

6.2. Formar grupos de professores para promover aulões nas turmas de 3ª série objetivando fortalecer o conhecimento para os alunos que pretendem prestar vestibular. Elaboração de projeto Formação do grupo de professores. Realização dos aulões.

6.3. Formar grupos de alunos para ministrarem aulas de reforço para aqueles que apresentam baixo rendimento escolar, em jornada ampliada de estudos. Realização do PAC – Projeto Aluno Cooperador.

6.4. Criar projetos que possam incentivar os alunos para a música, dança e teatro através da descoberta de talentos. Oficinas Show Cultural

6.5. Promover encontros pedagógicos com os educadores valorizando a interdisciplinaridade na busca de conhecimentos e troca de idéias, fortalecendo a prática docente em prol do aprendizado dos alunos. Encontros pedagógicos

6.6. Acompanhar e estimular toda a escola nos projetos pedagógicos, com propósito de minimizar as dificuldades apresentadas. Reuniões. Diálogos e sugestões Informações

7. Fortalecimento das relações interpessoais

7.1. Promover encontros e/ou oficinas de auto-estima e motivação envolvendo todos os segmentos em prol da harmonia da escola. Palestras Oficinas Leituras reflexivas Dinâmicas de integração

7.2. Proporcionar um clima agradável na Escola e comunidade para que todos os segmentos sintam-se confortáveis e possam se sentir acolhidos em prol de um trabalho mais eficaz. Diálogos

8. Gerenciamento dos Recursos Financeiros.

8.1.  Administrar os recursos financeiros da Escola com transparência e responsabilidade em prol do bom funcionamento da escola em parceria com os conselhos: de Escola e Caixa Escolar, e com professores e funcionários. Reuniões com todos os segmentos. Estabelecimento de metas.



III. AVALIAÇÃO DA GESTÃO



A Avaliação tem que pensar o professor, o aluno, os funcionários, pensar a escola como um todo.



Como qualquer outra atividade, o trabalho em equipe deve ser avaliado em relação aos objetivos propostos, para que todos percebam quanto estão próximos ou distantes de tais objetivos. Ao mesmo tempo, a avaliação do próprio processo de trabalho em grupo dá a medida do crescimento de cada um e do grupo como um todo. Quando um grupo consegue instalar um clima de confiança para aprender a fazer e receber críticas sem reações emocionais intensas, ele amadurece, torna-se fonte de crescimento para cada um de seus componentes, permitindo identificar seus avanços e dificuldades. A reflexão em conjunto pode auxiliar a equipe a obter um retrato de sua situação. Dessa forma, o referido Plano será avaliado através de:

 Análise da situação;

 Estabelecimento de prioridades;

 Definição de recursos necessários;

 Reformulação das ações de acordo com os resultados obtidos.



Procuraremos ao longo da gestão criar um clima agradável, isto é, onde os segmentos da Escola sintam-se confortáveis e possam se sentir acolhidos em prol de um trabalho mais eficaz.

As avaliações serão registradas, desde as questões debatidas e os encaminhamentos propostos, a fim de preservar a memória das decisões tomadas coletivamente e firmar o compromisso coletivo de colocá-las em prática.

Periodicamente, verificaremos como as ações estão se refletindo no cotidiano escolar e se os objetivos estão sendo atingidos. Procuraremos avaliar o processo do trabalho em equipe, buscando analisar o crescimento de cada um e do grupo como um todo, por meio de comparações: de onde partimos? Avançamos? Em que direção? Onde melhorar? Onde aperfeiçoar? Ou seja, a reflexão em conjunto pode auxiliar a equipe a obter um retrato de sua atenção.

Quando implantado com um sentido definido e um alcance planejado, o trabalho coletivo configura-se, pois, como a instância privilegiada do desenvolvimento social e profissional para toda equipe escolar.



3. OBJETIVOS DA GESTÃO



GERAL: Desenvolver um processo de avaliação que subsidie de forma eficaz a gestão da escola e de todas as pessoas envolvidas no processo educativo.

ESPECÍFICOS:

3.1.2.1. Realizar reuniões, periodicamente, com os segmentos da Escola para uma análise e reflexão do trabalho desenvolvido;

3.1.2.2. Aplicar instrumentos avaliativos (questionários, caixas de sugestões) com pais, estudantes, professores e funcionários buscando analisar se os objetivos propostos no Plano de Gestão estão sendo atingidos, bem como colher propostas para uma melhor eficácia;

3.1.2.3. Utilizar o uso do registro nos encontros avaliativos a fim de preservar a memória das decisões tomadas;

3.1.2.4. Tabular as respostas obtidas nos instrumentos avaliativos com a intenção de visualizar os pontos fortes e fracos, oportunidades de melhoria, comparativos, entre outros, para apresentação, posteriormente, em reuniões, para os segmentos da Escola.

3.1.2.5. Acompanhar os resultados da avaliação por meio dos indicadores selecionados.



4. METODOLOGIA DA GESTÃO



Ao longo da gestão, propõe-se um trabalho voltado em cima dos resultados da avaliação, pois ela mostra o que realmente precisa. A referida avaliação será realizada por meio de reuniões, encontros pedagógicos e administrativos, registros, aplicação de questionários, diálogos, utilização de caixa de sugestões, leituras e discussões coletivas, relatórios, tabulação de resultados e socialização dos resultados aos envolvidos no processo escolar.























































“Ninguém de nós é melhor do que todos nós juntos.”





Alessandra Camargo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário